Submarino.com.br
Ipsis Litteris Rotating Header Image

Jazz, mulheres, Sesc

Pois é: estou de volta, após duas semanas de um descanso – como eu mesmo afirmei na postagem anterior – merecido. Aqui em São Paulo, após um lauto almoço regado a bons chopes Eisenbahn, dirigi-me ao hotel para um sono em família. Antes, porém, uma checada na tevê, convicto de que a geralmente melancólica programação dominical seria um bom sonífero. Deparei-me, então – para minha absoluta surpresa -, com um show, em seu início, do grupo Ladies Instrumental. Se você, leitor, curte música instrumental e nunca ouviu falar desse grupo, é hora de se atualizar.

O próprio nome da banda já entrega o produto: um grupo de quatro mulheres – piano, baixo, guitarra e bateria – que faz som de primeiríssima, preciso e cheio de boas firulas (daquelas que, de tão exatas, tornam-se obrigatórias), com a ligeireza típica dos grandes músicos. Aqueles que, como eu – tempos atrás -, afirmaram que jazz instrumental era coisa de homem queimaram a língua. E os ouvidos. A banda é formada pelas músicas Dudáh Lopes (piano e teclado), Célia Carvalho (baixo elétrico), Renata Montanari (guitarra) e Bianca Prediere (bateria). Um timaço.

E quanto ao repertório? Bem, já vi muito craque tropeçar em temas como Doxy e Pent Up House, ambas de Sonny Rollins, ou Garota de Ipanema, de Jobim. Pois com esse grupo não há tropeços, safanões ou exageros. As moças embutem uma leveza que nem os próprios temas rollinsnianos citados possuem, e parecem tocar como se isso fosse trivial como a execução de uma marcha escolar. Assisti, maravilhado, ao show pelo canal Sesc, com uma imagem que não estava lá essas coisas – e não melhorou, após eu reclamar com a gerência do hotel. Mas quem precisa de imagens, de fato? Eis as moças:

Fui ao YouTube para checar o show. Uma beleza. Para quem não conhece, aí vai a dica, que contém Cantaloupe Island, de Herbie Hancock; Wave, de Jobim; Tenor Madness, de Sonny Rollins, e Take Five, de Paul Desmond, e imortalizado pelo Dave Brubeck Quartet. Se houver tempo, cheque os links. Você não vai se arrepender. Olhe, posso garantir, sem pestanejar, que é melhor, muito melhor, que Luan Santana, Jota Quest ou Michel Teló.

 

11 Comentários on “Jazz, mulheres, Sesc”

  1. #1 Matheus de Jesus -
    on Jan 15th, 2012 at 8:45 pm

    Muito bom , Grijó .Não conhecia ! Valeu ..

    Reply

  2. #2 olney
    on Jan 15th, 2012 at 9:30 pm

    Eu tb ainda não conhecia o grupo e assisti a essa apresentação na SESCTV; bom mesmo!

    Reply

  3. #3 Grijó
    on Jan 15th, 2012 at 10:23 pm

    Fiquei bastante impressionado, Olney, com a pianista e com a contrabaixista – que, segundo se sabe, é quem escolhe o repertório.

    Reply

  4. #4 Wagner Barbosa
    on Jan 17th, 2012 at 10:19 am

    Grande Grijó,

    Também não conhecia esse grupo, muito bom.

    Aproveito então para divulgar umas meninas do interior de São Paulo que já estão fazendo muito sucesso nos circuitos de choro. Choro das 3, tive a felicidade de assistir a algumas rodas de choro informais com a presença delas.

    http://www.youtube.com/watch?v=DQQkTlkVP3M&feature=related

    Reply

  5. #5 Grijó
    on Jan 17th, 2012 at 4:27 pm

    Sensacional, Wagner. Valeu. E que flautista, hem??!

    Reply

  6. #6 Wagner Barbosa
    on Jan 18th, 2012 at 1:33 am

    São 3 irmãs.

    Em São Paulo, próximo do metrô da Luz, todo sábado pela manhã um grupo muito bom de chorões se reúne. Formam uma maravilhosa roda de choro, muito descontaída.

    Elas de vez em quando apareciam, sempre muito apressadas, tocavam um pouco e saíam correndo.

    Quando eu morava em São Paulo, sempre que possível, ia lá. Quando for novamente me avise que te dou as cordenadas.

    abraços

    Reply

  7. #7 Vampiro Lestat
    on Jan 18th, 2012 at 10:44 am

    Que grande apresentação! E o repertório não é nada fácil.
    a pianista me lembrou o toque preciso do Bud Powell não achou?

    Reply

  8. #8 Grijó
    on Jan 18th, 2012 at 11:28 am

    “Doxy” e “Tenor Madness” são temas dificílimos, Vampiro. Rollins não é para frouxos.

    Reply

  9. #9 olmiro muller
    on Jan 19th, 2012 at 2:29 pm

    As meninas do jazz honraram Sonny Rolins e as do choro honraram Mozart.

    Reply

  10. #10 Jobeth
    on Feb 1st, 2012 at 6:22 pm

    Vi ao vivo, in loco.
    Sensacional. Verdadiras ladies da música. Tocaram nos EUA e fizeram sucesso.

    Reply

  11. #11 Caucasiano
    on Feb 18th, 2012 at 9:54 pm

    Vi o programa. tocam como poucos (ou poucas)…

    Reply

Deixe um comentário